2 Jul 2019

Urbanista propõe uma saída sustentável e não-segregadora para áreas de mananciais ocupadas por moradias precárias. Implica enfrentar a especulação imobiliária — e integrar políticas de habitação social, saneamento e transporte

Angélica Tanus Benatti Alvim entrevistada por João Vitor Santos, no IHU | Imagem: Felipe Rau

Quando ocorre um vazamento de óleo, a viscosidade do líquido faz com que ele se alastre e vá sufocando tudo que encontra pela frente, seja na água, seja na terra. E, na área contaminada pelo óleo, a vida se estabelece de forma precária.

Essa metáfora é ilustrativa e revela como a professora, arquiteta e urbanista Angélica Alvim compreende o crescimento desajustado de cidades brasileiras, o que chama de urbanização dispersa. “Os problemas da urbanização dispersa têm muito a ver com os problemas das cidades brasileiras, que crescem de forma espraiada, como se fosse uma mancha de óleo, sem planejamento”, reitera, na entrevista concedida por telefone à IHU O...

18 Jun 2019

A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica. Entrevista especial com Pedro Roberto Jacobi

Por: Patricia Fachin | 17 Junho 2019 IHU On-Line

A expansão urbana desordenada ou a ocupação inadequada de áreas da cidade geram “um somatório de problemas”, que se estendem desde a falta de moradia digna até a proliferação de doenças e o agravamento da crise ambiental. Como lembra o professor Pedro Roberto Jacobi, que pesquisa a "governança global da macrometrópole paulista face  às mudanças climáticas" e coordena o projeto temático Fapesp (2018-2022), intitulado "Governança Ambiental da Macrometropole Paulista  face às Mudanças Climáticas" (MacroAmb), “essa não é uma história nova” no Brasil. “É uma história que se repete: na medida em que a gestão pública não dá conta de uma demanda por moradia, de uma população que não tem recursos para entrar no mercado imobiliário, desencadeia uma expansão urbana desordenada”.

...

14 May 2019

Segundo a Sabesp, choveu apenas 2,6 mm no mês

O sistema Cantareira opera com 58,6% de sua capacidade nesta segunda-feira (13). Segundo a Sabesp, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, que monitora o nível dos reservatórios do estado, choveu 2,6 mm no mês, sendo que a média histórica é de 78,6 mm.

O nível do manancial se manteve estável nas últimas 24 horas. Desde janeiro o reservatório saiu do nível de estado de alerta após seis meses operando com volume igual ou abaixo de 40%.

Confira os índices dos outros mananciais:

Alto Tietê – 94%
Guarapiranga – 91,3%
Cotia – 100,7%
Rio Grande – 102,2 %
Rio Claro – 102%
São Lourenço – 88,6%

São Paulo, maio de 2018 - A 13ª edição do Abraço Guarapiranga, realizada neste domingo, 27 de maio, reuniu quase quatro mil pessoas em três pontos distintos da margem da represa.

O evento deste ano foi realizado em meio à greve dos caminhoneiros, que desde o dia 21 de maio vem afetando o abastecimento de combustível e outros itens em todo Brasil. Com isso, parte da estrutura de palco prevista para o evento teve de ser substituída por um carro de som gentilmente cedido pela UGT – União Geral dos Trabalhadores, o que possibilitou sua plena realização. 

No Parque da Barragem (Capela do Socorro), um dos pontos tradicionais do Abraço Guarapiranga, participaram cerca de 600 pessoas,  que formaram o abraço simbólico a esta que é um dos principais mananciais da região metropolitana de São Paulo. O local recebeu dois grupos de ciclistas que promoveram o Pedal do Abraço Guarapiranga, organizado pelo coletivo Bike Zona Sul e  Amigos do Pedal, que vieram, respectivamente, das regiões Sul e...

20 May 2018

A 13ª edição do evento pede despoluição dos mananciais de São Paulo

A 13º edição do Abraço Guarapiranga, ocorrerá no domingo 27 de maio, a partir das 9h (mesma data em que se comemora o Dia da Mata Atlântica) e pede despoluição já!

O evento, que acontece em três locais, às margens da represa Guarapiranga, contará com diversas atividades culturais, e uma “bicicletada” que partirá de dois locais:

- Praça do Ciclista Av Paulista às 9h

- Praça Deputada. Ivete Vargas - Av. Arvoredo – Pq das Árvores (Grajaú) as 10h

O Abraço Guarapiranga 2018 elegeu como tema tendo em vista os diversos problemas de saúde causados pela água inadequada. Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), indicam que apesar dos poucos avanços, o acesso a água e as redes de esgoto ainda é precário e há muito por fazer no país:

-O esgoto de 100 milhões de pessoas no Brasil não é tratado

-35 milhões de brasileiros não tem acesso à água

-400 mil pessoas deram entrada no SUS por doenças diarreicas consumindo R$...

22 May 2017

Tema desse ano:  Por novas atitudes de cuidad12ª edição do evento propõe reflexão sobre novas atitudes de cuidado com a água e pede o fim da degradação dos mananciaiso com a água

 Foto: CHRISTINA BRAGA

São Paulo, junho de 2017 - A 12º edição do Abraço Guarapiranga, que o correrá no dia 4 de junho, domingo, a partir das 9h, e inaugura as atividades da Semana Mundial do Meio Ambiente, pedindo o fim da degradação dos mananciais.

O evento, que acontece em dois locais, às margens da represa Guarapiranga, contará com diversas atividades culturais, e uma bicicletada que partirá da Praça do Ciclista Av Paulista.

O Abraço Guarapiranga 2017 elegeu como tema “Por novas atitudes de cuidado com a água. Basta de degradação” e conta com o apoio da Aliança Pela Água rede que reúne mais de 60 organizações da sociedade civil como ONGs, movimentos sociais, além do Coletivo de Luta Pela Água e Prefeitura de São Paulo.

Esta edição busca enfatizar que a água não é mercadoria, mas um bem essencial à vida cujo ace...

26 Mar 2017

Número é maior do que o registrado há três anos, no período pré-crise hídrica; governo diz que perdas são normais, pois pressão não é mais diminuída.

Em um ano, vazamentos desperdiçaram o equivalente a três represas de Guarapiranga 

Por Bruna Vieira e Amanda Rossi, TV Globo/G1

O desperdício de água na Grande São Paulo atualmente é maior do que o registrado há três anos, no período pré-crise hídrica. Vazamentos e fraudes fazem com que 31,2% da água distribuída na Grande São Paulo não cheguem às torneiras. O percentual é maior que o registrado em janeiro de 2014: naquela época, 31% da água produzida era desperdiçada.

Dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) obtidos pelo SPTV via Lei de Acesso à Informação indicam que o racionamento hídrico refletiu na diminuição do desperdício: em setembro de 2015 o número caiu para 26,8%. Um ano depois, porém, passou o percentual da crise hídrica, chegando a quase um terço do que é produzido.

Gráfico mostra percentual de água d...

16 Jan 2017

 Foto Mauro Scarpinatti

Cidades como São Paulo descobriram, da pior forma, o que acontece quando não se presta atenção para a conservação das florestas nas áreas de nascentes e mananciais: uma seca severa impactando vidas, a economia e o meio ambiente. Esse tipo de crise, no entanto, pode ser evitado se houver investimentos robustos em conservação. Um estudo publicado nesta quinta-feira (12), no entanto, mostra que o valor do investimento ainda está longe do ideal: ele precisa dobrar.

O estudo foi feito pela ONG internacional The Nature Conservancy (TNC). Ela avaliou a situação do abastecimento de água em 4 mil cidades, de médio e grande porte, de todo o mundo, incluindo o Brasil, e a conservação dos mananciais que essas cidades usam.

Segundo o estudo, essas cidades investem hoje cerca de US$ 24 bilhões por ano com programas de conservação de mananciais, como os Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA). São programas que direcionam recursos para proprietários, empresas e municípios que ma...

Please reload

NOTICIAS RECENTES

Please reload

Procurar por tags