Distrito Federal terá primeiro racionamento de água de sua história


Gabriel Jabur/Agência Brasília

O presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice, classificou como “indispensável” o estoque de água durante o raciomento, que começa em Brasília nesta segunda-feira (16), com interrupção no fornecimento para Ceilândia Oeste, Recanto das Emas e Riacho Fundo II.


Segundo ele, caso as pessoas façam o consumo moderado, a quantidade que fica na caixa é suficiente para o dia sem abastecimento. Ludovice também recomenda que se mantenha a caixa d’água limpa neste período, para frear o desperdício.


A Barragem do Descoberto estava com 18,85% da sua capacidade na sexta-feira (13). “Estocar água pode aumentar o desperdício e, caso os recipientes fiquem abertos, viram ambiente propício para o mosquito da dengue”, alerta Luduvice.


Se o estoque é prejudicial, a atenção à caixa d’água deve ser redobrada. É necessário mantê-la sempre limpa para ter água de qualidade em casa. “Verifiquem a boia. Ela precisa estar nova e limpa, pois sem abastecimento o volume vai descer. E, estando vazia e suja, quando religar, a sujeira vai subir”, explica o presidente da Caesb.


Além destes alertas, ele reforça uma lista de atitudes, que passa por não deixar a torneira pingando, o que leva a um desperdício de cerca de 48 litros por dia; tomar banhos de até cinco minutos, o que equivale a 30 litros de água; manter a piscina de casa vazia; trocar a mangueira pela vassoura na limpeza de calçadas e por balde, se for necessário lavar o carro. No caso de plantas e flores, o ideal é usar o regador.


Rodízio no fornecimento de água


O racionamento no DF consiste em ciclo de um dia sem abastecimento (a partir das 8 horas), seguido de dois dias para religar e estabilizar o sistema, e três de situação normalizada. O Plano Piloto foi excluído do racionamento. As áreas afetadas são Águas Claras, Candangolândia, Ceilândia, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Park Way, Recanto das Emas, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, Santa Maria, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires (veja lista abaixo). Cerca de 1,8 milhão de pessoas serão atingidas pela medida.

O racionamento já havia sido ventilado em novembro de 2016, quando o nível do Descoberto esteve abaixo dos 20% pela primeira vez, e a Adasa publicou a Resolução nº 20 para estabelecer o regime.


A medida foi necessária por conta do baixo índice das chuvas, algo não esperado à época. Como a ideia é economizar água para manter os níveis do reservatório para o período de seca, o governo de Brasília ainda não estabeleceu uma data final para o regime de racionamento.

Fonter: Jornal de Brasília

al, Lago Sul, Lago Norte, Paranoá, Varjão, Itapoã e Jardim Botânico.

O governo do Distrito Federal também vai cobrar tarifa de contingência sobre a conta de consumo, estabelecer restrição de horários para captação de água por caminhões-pipa e divulgar orientações para estabelecimentos como lava jato. Todas como forma de amenizar e controlar a crise hídrica na região.

Fonte: UOL Notícias

Notícias recentes
Procurar por tags

ORGANIZAÇÃO