População de Correntina se mobiliza pela água

November 11, 2017

 

Neste sábado (11/11), na histórica cidade de Correntina, na região Oeste da Bahia, ocorreu um dos maiores atos, em defesas dos rios, já realizado na região. Gente de vários municípios, como: Santa Maria da Vitória, São Desidério, Baianópolis, Barreiras, Santana, Bom Jesus da Lapa, Sítio do Mato, vestiram de preto e saíram às ruas em defesa do acesso a água.

A manifestação é contra a excessiva retira de água dos rios da região por empresas agrícolas para irrigação.

 

No início de novembro, cerca de 500 ribeirinhos (população tradicional que vive às margens do rio) foram protestar na fazenda Igarashi, que estaria secando o Rio em prol da irrigação de suas lavouras, ou seja, desviando água para suas plantações.


“Nós só queremos nosso rio preservado” gritavam os manifestantes. A população que depende desta água como fonte para sua sobrevivência vê o rio secar a cada vez que as bombas da fazenda são ligadas para irrigação. Porém, mais do que simples outorga de irrigação, a escassez é causada por todo um sistema que não respeita os recursos naturais. 

Lideranças da região estiveram presentes à manifestação, como deputados e prefeitos, e e o bispo da Diocese de Bom Jesus da Lapa, dom João Santos Cardoso. A mobilização teve início às 7h30 e foi encerrada às 12h, depois de percorrer ruas centrais de Correntina e margear o Rio das Éguas, que corta a cidade de 33 mil habitantes e é um dos que fazem parte da Bacia do Rio Corrente.

 

O ato, segundo os organizadores, reuniu cerca de 15 mil pessoas e, busca também, dar maior visibilidade aos problemas socioambientais do Oeste da Bahia, cuja área está inserida na região do Matopiba, projeto governamental de incentivo à produção agrícola nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, e onde estão os últimos remanescentes de Cerrado no Brasil. A região do Matopiba é a principal fronteira agrícola brasileira.

 

 

Na região também estão os rios Carinhanha, Corrente e Grande, bem como suas nascentes, subafluentes e afluentes, principais contribuintes com as águas do rio São Francisco na Bahia, responsáveis por até 90% de suas águas no período seco.

 

A água desses rios abastece não só grandes projetos agrícolas como também pequenos produtores, como os que protestaram contra o projeto de irrigação da Igarashi, que possui a outorga da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) desde 2015 para irrigar 2.530 hectares com 180 mil metros cúbicos de água por dia do Rio Arrojado, que faz parte da Bacia do Rio Corrente.

 

Please reload

Notícias recentes
Please reload

Procurar por tags
Please reload

ORGANIZAÇÃO