Abraço Guarapiranga reúne milhares de pessoas em três pontos da represa

 

 

São Paulo, maio de 2018 - A 13ª edição do Abraço Guarapiranga, realizada neste domingo, 27 de maio, reuniu quase quatro mil pessoas em três pontos distintos da margem da represa.

O evento deste ano foi realizado em meio à greve dos caminhoneiros, que desde o dia 21 de maio vem afetando o abastecimento de combustível e outros itens em todo Brasil. Com isso, parte da estrutura de palco prevista para o evento teve de ser substituída por um carro de som gentilmente cedido pela UGT – União Geral dos Trabalhadores, o que possibilitou sua plena realização. 

No Parque da Barragem (Capela do Socorro), um dos pontos tradicionais do Abraço Guarapiranga, participaram cerca de 600 pessoas,  que formaram o abraço simbólico a esta que é um dos principais mananciais da região metropolitana de São Paulo. O local recebeu dois grupos de ciclistas que promoveram o Pedal do Abraço Guarapiranga, organizado pelo coletivo Bike Zona Sul e  Amigos do Pedal, que vieram, respectivamente, das regiões Sul e Central da cidade e, juntos, reuniram aproximadamente 300 pessoas.

 

Apresentações dos músicos Luiz Carlos Bahia, Zé Márcio Kaipira Urbano e Anabel Andrés, além do Bloco Afro É Di Santo, animaram o público, que contou com a presença e prestígio de turmas como os Grupos Escoteiro Almirante Tamandaré, Guarapiranga e Tapajós, e organizações como SOS Abelha Sem Ferrão, Projeto Gaiola Aberta, Movimento Garça Vermelha, Instituo Biguá, Espaço de Formação Assessoria e Documentação, Movimento de Atingidos por Barragens, Universidade de Santo Amaro,além de moradores da região. No local, houve algumas oficinas de educação ambiental, distribuição e plantio de mudas e apresentações de trabalhos de alunos de escolas.

Mauro Scarpinatti, da organização do Abraço Guarapiranga, destacou a crescente participação da comunidade, que esteve presente ao evento mesmo com os problemas causados pela crise no abastecimento de combustíveis. “A população deu uma enorme demonstração de carinho e respeito com os mananciais, especialmente com a represa do Guarapiranga, que há décadas vem sofrendo as consequências da expansão urbana desordenada, ausência de políticas públicas de moradia, especulação imobiliária”.

 

 

No Jardim Ângela, na Riviera Paulistana, o evento reuniu cerca de 1,5 mil pessoas e contou com uma missa campal celebrada por 10 padres, além de um plantio simbólico de uma árvore.

 

 

No Embu Guaçu, o Abraço Guarapiranga, também reuniu cerca de 400 pessoas. O destaque ficou para a participação de alunos de diversas EMEIs que trouxeram cartazes pedindo a despoluição de mananciais. Já as crianças do Centro São José distribuíram terrários que elas mesmas tinham feito.

Tendo como tema "'Água é saúde: despoluição já!", o Abraço Guarapiranga teve apoio da Aliança Pela Água, rede que reúne mais de 70 organizações da sociedade civil como ONGs e movimentos sociais e que em São Paulo vem trabalhando pela aprovação do Projeto de Lei 575/2016, elaborado pela sociedade civil e que visa a Segurança Hídrica municipal.

“O PL tem como objetivo aumentar o protagonismo do município para gestão de suas águas, integrando e alinhando políticas de gestão de recursos hídricos. Isso inclui proteção ambiental, saneamento, saúde, ordenamento territorial na ocupação de regiões de manancial, como a Guarapiranga, e defesa civil, além da geração e monitoramento de informações sobre aspectos de interesse para a gestão da água, possibilitando maior transparência e controle social”, explica Marcelo Cardoso, representante da Aliança presente no evento. O projeto de lei foi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal de São Paulo e agora aguarda uma segunda votação para sua aprovação, futura sanção do Prefeito Bruno Covas, que pode deve ocorrer nos próximos meses.

 

Please reload

Notícias recentes
Please reload

Procurar por tags
Please reload

ORGANIZAÇÃO